Newsletter

Cadastre-se e receba nossos boletins informativos



Planejamento reprodutivo: empoderando pessoas, desenvolvendo nações

Tamanho da letra:

Pronunciamento da Diretora Executiva em exercício do Fundo de População das Nações Unidas, Dr.ª Natalia Kanem, para o Dia Mundial da População

Natalia KanemTodos os dias, mulheres em situação de vulnerabilidade, especialmente as mais pobres e refugiadas, enfrentam obstáculos sociais, econômicos e geográficos para terem acesso a serviços de planejamento reprodutivo e informações.

Há cinquenta anos, o então secretário-geral das Nações Unidas estabeleceu o Fundo de População da ONU, o UNFPA. Desde quando iniciou suas atividades, em 1969, o UNFPA colabora para remover os obstáculos relacionados ao planejamento reprodutivo e garantir os direitos reprodutivos das mulheres. O UNFPA contribuiu para quase dobrar o uso de métodos modernos de contracepção - de 36% em 1970 para 64% em 2016.

Apesar do impressionante progresso, desafios enormes permanecem: 214 milhões de mulheres em países em desenvolvimento não têm acesso a métodos efetivos e seguros de planejamento reprodutivo. A maior parte dessas mulheres vivem nos 69 países mais pobres do mundo. Satisfazer às suas demandas não atendidas salvaria vidas, uma vez que evitaria 67 milhões de gravidezes não planejadas e reduziria para um terço as aproximadas 303 mil mortes maternas anuais.

Cuidados com a saúde reprodutiva, incluindo o planejamento reprodutivo voluntário, podem melhorar as economias globais. Além disso, um sistema de saúde reprodutiva mais efetivo pode empoderar mulheres para terminarem seus estudos, juntarem-se à força de trabalho, serem mais produtivas em seus empregos, ganharem maiores salários e aumentarem suas economias e investimentos, ou seja, contribuir para o desenvolvimento sustentável. Para cada dólar gasto em métodos contraceptivos, o custo dos gastos em cuidados relacionados à gravidez é reduzido em $2,30.

Investimentos em planejamento reprodutivo levam à prosperidade de todas as pessoas.

O planejamento reprodutivo é, portanto, fundamental para alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 1, que visa acabar com a pobreza. Ele é, também, a chave para atingir os outros objetivos, como eliminar a fome e promover a saúde e a igualdade de gênero.

O UNFPA estabeleceu um objetivo ambicioso e transformador para eliminar as demandas insatisfeitas por planejamento reprodutivo até 2030. Neste Dia Mundial da População, nós pedimos ajuda a todos os governos e a todas as pessoas interessadas para atingir este objetivo. O UNFPA pede, também, aos 179 governos que sancionaram o Programa de Ação da Conferência Internacional do Cairo para População e Desenvolvimento de 1994 que cumpram os seus compromissos visando ao acesso universal à saúde sexual e reprodutiva, o que inclui o planejamento reprodutivo voluntário. Isto significa não apenas assegurar a saúde e os direitos, mas investir no desenvolvimento econômico e no progresso e prosperidade da humanidade.

banner zica lateral

teste pequeno

banner programa de pais

banner materiais iniciativas

reducao

unfpabrasil A partir de 2020, a população #quilombola poderá ter uma categoria no censo do IBGE. Saiba sobre o debate em… https://t.co/WjwpVe5Hk6
7hreplyretweetfavorite
unfpabrasil Em fórum no Rio de Janeiro, @unfpabrasil debate prevenção e resposta à violência de gênero em emergências… https://t.co/QACEUBFUdZ
9hreplyretweetfavorite
unfpabrasil Qual a relação entre o aumento populacional e as alterações climáticas provocadas pela humanidade?… https://t.co/iWPBCWlYQ1
13hreplyretweetfavorite