Newsletter

Cadastre-se e receba nossos boletins informativos



Saúde Sexual e Reprodutiva

Tamanho da letra:

O direito à saúde reprodutiva, inclusive o planejamento familiar e a saúde sexual, é um direito humano que faz parte do direito à saúde em geral. Os investimentos em serviços de saúde reprodutiva salvam vidas e as tornam melhores, detêm a propagação do HIV/aids e promovem a igualdade de gênero. Isto, por sua vez, possibilita maiores investimentos em saúde e educação, e contribui para estabilizar o crescimento da população e reduzir a pobreza.

Nas últimas três décadas, graças às atividades do UNFPA, ampliou-se o acesso voluntário aos serviços de planejamento familiar. Nos países em desenvolvimento, quase 60% das mulheres casadas já optam por utilizar contraceptivos, em comparação com entre 10% e 15% em 1969, quando o UNFPA começou a realizar suas atividades.

No entanto, ainda há cerca de 350 milhões de casais que necessitam de um leque de opções entre os diversos modos de planejar suas famílias ou espaçar seus filhos. Nos países em desenvolvimento, a cada minuto uma mulher perde a vida durante a gravidez ou o parto.

O UNFPA apóia a provisão de serviços de saúde reprodutiva e a disponibilização de uma gama mais ampla de opções quanto a métodos de planejamento familiar e informação a esse respeito. Os serviços de saúde reprodutiva incluem: atenção à gestação e ao parto; assistência psicossocial (aconselhamento) e prevenção da infertilidade; prevenção e tratamento das infecções do aparelho reprodutor e das infecções de transmissão sexual, incluindo o HIV/aids; atenção às conseqüências, para a saúde, do aborto realizado em condições precárias.

unfpabrasil "Essa foi uma experiência muito saudável em que me tornei no homem que sou hoje" https://t.co/4E90iZrwwi https://t.co/lMNUB8mG70
9hreplyretweetfavorite
unfpabrasil Você sabia que 1 em cada 3 mulheres em todo o mundo já sofreu violência física ou sexual? #16diasdeativismohttps://t.co/lh6AMXHWL4
14hreplyretweetfavorite
unfpabrasil O secretário-geral da ONU alertou que a prática da #MGF nega a mulheres e meninas sua dignidade e saúde https://t.co/kbVL6LVbOW
17hreplyretweetfavorite